Publicidade

Como evitar gastos desnecessários: 9 passos importantes

Como evitar gastos desnecessários: 9 passos importantes
Publicidade

Cansado de viver com as contas apertadas? Infelizmente, boa parte dos brasileiros não consegue guardar dinheiro e economizar um pouquinho mais, seja por contas inesperadas ou pelo próprio descontrole financeiro. Nesse sentido, um dos perigos da organização financeira são os gastos desnecessários.

Aquele docinho depois do almoço, a calça da promoção, um pedido via delivery – tudo isso parece ser inofensivo, mas na hora de botar essas contas no papel você pode acabar levando um susto do quanto foi gasto.

Publicidade

Independente da situação, sempre é possível adotar hábitos mais saudáveis para as finanças. A seguir, aprenda 9 dicas para evitar gastos desnecessários.

1. Faça uma lista dos seus gastos

Em primeiro lugar, antes de sair cortando tudo é importante ter em mente exatamente quais são os gastos que você tem. Para isso, um bom exercício é anotar tudo o que você gasta durante o mês, incluindo contas fixas e variáveis.

Publicidade

É importante não deixar nada de fora, nem mesmo aquela balinha que custou apenas alguns centavos. Afinal, como nós já vimos, ao somar tudo essa conta fica bem maior.

Com essas informações em mãos, você vai poder ver com clareza o que é necessário na sua vida e o que não faz tanta diferença e pode ser cortado.

Publicidade

Para fazer isso existem muitas opções, como aplicativos de celular, planilhas e claro, o bom e velho papel e caneta. O que importa mesmo é que você tenha uma noção do quanto anda gastando por mês.

Publicidade

2. Separe o que é importante do que não é

Agora que você já listou todos os seus gastos, é hora de separar o que é indispensável do que é classificado como gasto desnecessário.

Normalmente, aquelas despesas essenciais para você viver bem são os gastos principais, como moradia, saúde, alimentação, transporte, educação, entre outros. Por outro lado, tudo aquilo que você gasta dinheiro mas pode viver sem são os custos que podem ser cortados.

Publicidade

Um bom exemplo é a TV por assinatura. Você já parou pra pensar quantos canais realmente assiste? Se você nem estiver consumindo esse serviço, esse pode ser um gasto desnecessário que está pesando na suas contas.

Outros exemplos são assinaturas de streamings que você não usa, planos de operadoras de celular muito acima do que é consumido, compras de produtos em promoção, e por aí vai. Liste todos os gastos que você consegue viver sem e veja quanto do seu dinheiro está sendo destinado para essas compras.

3. Defina limites para gastar

É claro que você não vai cortar todos os gastos desnecessários de uma vez, afinal, eles fazem parte do seu cotidiano. Aqui, a ideia é que você entenda o que é essencial e o que não é tão importante para equilibrar melhor as suas finanças e conseguir economizar mais.

Portanto, a nossa dica é que você defina um valor máximo para gastar, de forma que essa quantia não prejudique as suas contas fixas e a suas economias.

Em outras palavras, se está tudo de acordo com o seu orçamento, não há problema em comprar uma roupa, fazer um passeio ou experimentar um prato novo, desde que esses gastos estejam previstos no seu planejamento.

Acima de tudo, seja honesto consigo mesmo e com o seu dinheiro. Sua saúde financeira vai te agradecer (e muito!).

4. Renegocie suas dívidas

Cortar gastos desnecessários pode parecer ainda mais difícil para quem está com dívidas. Mas é muito importante que você tente controlar a situação antes que ela fique mais complicada ainda.

Por exemplo, usar os limites do cheque especial ou do crédito rotativo é perigoso, pois os juros dessas modalidades podem se tornar mais gastos desnecessários para a sua lista.

Estamos falando dos juros mais altos do mercado. Logo, a melhor opção é que você converse com o gerente do seu banco e tente renegociar ou trocar essa dívida, encontrando uma opção com juros menores e que seja mais fácil de pagar.

Além disso, cada vez mais os feirões de negociação de dívidas ajudam pessoas a resolverem a situação financeira e a limpar o nome. Normalmente, as empresas oferecem boas ofertas com grandes descontos, facilitando a vida de quem está endividado.

Assim, você já quita o saldo devedor e foge dessa dor de cabeça. Que tal?

5. Se planeje para datas especiais

As compras de última hora podem ser um dos principais tipos de gastos desnecessários. O aniversário do seu melhor amigo chegou e você esqueceu de comprar um presente com antecedência? Essa situação pode ser perigosa, pois as chances de fazer uma compra por impulso e por um valor alto são maiores.

Para evitar tudo isso, uma ideia é criar um calendário com as principais datas comemorativas, incluindo aniversários de amigos e familiares e também datas sazonais, como Natal, Black Friday, pagamento de contas de início de ano (IPTU, IPVA, Imposto de Renda) e por aí vai.

Assim, você consegue planejar direitinho o que vai ser comprado, quando e qual o valor vai destinar.

6. Pague as contas no prazo

Pagar as contas em dia evita que os juros e multas se tornem gastos desnecessários. Ainda mais, é essencial para não desorganizar as finanças e acabar caindo naquela bola de neve de dívidas que parecem não ter um fim.

Por fim, essa também é uma forma de aumentar a sua pontuação de score em plataformas como Serasa e SPC Brasil, aumentando as suas chances de conseguir uma aprovação de crédito. Legal, né?

7. Use o cartão de crédito com consciência

As compras com o cartão de crédito não poderiam ficar de fora dessa lista, afinal, apesar de parecer uma grande ajuda, abusar das compras com o cartão pode trazer consequências sérias para o seu bolso, pois os juros dessa modalidade são altíssimos.

Logo, é fundamental que você utilize o cartão de crédito com cautela e sempre de forma planejada, para não ter aquela surpresa desagradável quando o boleto chegar. Em alguns casos, é melhor deixar as compras com essa ferramenta para compras de emergência ou quando você não conseguir pagar à vista.

Atenção também para os parcelamentos. Lembre-se de que a cada novo mês você terá novas compras em seu cartão, e parcelas muito longas podem prejudicar o seu orçamento com o passar do tempo. Assim, a sua capacidade de pagar a fatura vai diminuindo e as dívidas aparecem.

8. Use a tecnologia a seu favor

A internet está repleta de ferramentas para melhorar a nossa relação com as finanças. Apesar de poder usar um simples bloco de notas, uma alternativa é usar os recursos que a web oferece para montar uma organização financeira completa e que funcione bem.

As possibilidades são enormes: aplicativos, planilhas virtuais, plataformas online e muito mais. Algumas ferramentas permitem que você organize todas as suas finanças em um só lugar. Por isso, se você quer melhorar o seu orçamento, é legal contar com a tecnologia para te dar uma forcinha.

9. Invista em educação financeira

Acima de tudo, aprender mais sobre educação financeira é uma forma de não somente controlar os gastos desnecessários, mas entender a real importância do seu dinheiro e vê-lo como uma ferramenta para realizar sonhos, e não apenas pagar contas.

Muitas vezes, nós descontamos as nossas frustações e exageros nas finanças, fazendo com que tudo saia do controle e a situação fique ainda mais complicada. Por isso, a educação financeira tem um papel importante: o de mostrar como cuidar bem das suas finanças também é uma forma de cuidar bem de si mesmo.

A educação financeira é uma chave para a mudança de hábitos. Então, além de colocar em prática todas as dicas que vimos até agora, não deixe de estudar cada vez mais sobre esse assunto tão importante.

Publicidade

Deixe um comentário

error: