Publicidade

5 Dicas Para Administrar Melhor Seu Dinheiro

5 Dicas Para Administrar Melhor Seu Dinheiro
Publicidade

O final do mês chega e é sempre a mesma situação: você sente que falta dinheiro para tantos dias. A solução para isso pode ser se planejar melhor, conhecendo seus ganhos e gastos e se organizando para arcar com eles. É por isso que hoje vamos trazer 5 dicas para administrar melhor seu dinheiro.

Afinal, por que preciso administrar melhor meu dinheiro?

É impossível evitar imprevistos e qualquer pessoa pode passar por eles. No entanto, há algumas pessoas que se complicam nesses momentos e outras que estão preparadas para eles. O que separa um grupo do outro pode ser uma questão de saber administrar melhor os ganhos.

Publicidade

Afinal, quem não deseja chegar ao fim do mês sem sufoco, não é mesmo? Atingir essa meta pode ser menos complicado do que você pensa. Ainda que organização financeira não resolva todos os problemas, ela é uma ferramenta para conhecer melhor suas finanças, se planejar e estar preparado para enfrentar imprevistos.

Agora, veja 5 dicas para administrar melhor seu dinheiro.

Publicidade

1. Conheça seus ganhos e gastos

Você é o tipo de pessoa que sabe exatamente quanto ganha e gasta ou prefere nem saber quanto gastou em um mês? Ainda, é possível que você nem goste de olhar o seu saldo com medo do que te espera. Mas, felizmente, conhecer seus ganhos e gastos te ajuda a equilibrar as finanças de acordo com o seu orçamento.

Se você recebe um salário fixo, pode ser mais fácil saber exatamente quanto recebe e se planejar a partir desse valor. Entretanto, se as suas receitas são variáveis, é importante planejar seus gastos de acordo com a data de recebimento e estabelecer um média para os ganhos.

Publicidade

Feito isso, liste todos os seus gastos, desde os básicos: aluguel, conta de luz, alimentação, mensalidades e outros. Até os gastos variáveis, como os gastos com lazer, despesas emergenciais e outros. Assim, fica mais fácil perceber onde você está gastando e o que pode estar comprometendo sua organização.

Publicidade

2. Separe seus gastos em categorias

Depois de identificar os seus gastos, você precisará separá-los em categorias. Aqui, vale lembrar que elas são livres, mas selecionamos algumas para te ajudar no processo:

  • Aluguel
  • Contas mensais (pacote de internet, conta de luz, condomínio, gás…)
  • Alimentação
  • Transporte
  • Lazer
  • Saúde
  • Entretenimento

Assim, é possível descobrir onde seus gastos estão se concentrando e cortá-los, se necessário. É comum que os gastos menores, ao longo do mês, comprometam o orçamento. Identificar todos eles no mesmo período pode te ajudar com essa percepção.

Publicidade

3. Gaste menos do que ganha

Essa dica é um princípio básico para a organização financeira. Aqui, vale fazer algumas adequações de acordo com a sua realidade financeira. É recomendável, por exemplo, que os gastos com moradia sejam de até 30% da sua renda mensal. Ou seja, isso significa comprometer menos de 1/3 da sua renda mensal com aluguel e condomínio.

Aprenda a comparar preços para economizar, quando precisar. Além disso, anote sempre todos os seus gastos para não comprometer sua renda por completo.

4. Use o cartão de crédito com sabedoria

O cartão de crédito pode ser uma ótima ferramenta, quando utilizada com sabedoria. Muitas vezes, as pessoas usam para centralizar todas as suas contas, trazendo mais praticidade para pagá-las de uma só vez. Além disso, ele aumenta seu poder de compra, proporcionando a compra parcelada e tornando esse processo mais acessível.

Entretanto, muitas pessoas usam o cartão de crédito como extensão do salário. Ou seja: gastam mais do que recebem e comprometem suas chances de economizar para um futuro melhor. Em alguns casos, certas compras podem esperar e outras podem ser feitas à vista, conquistando descontos.

5. Tenha metas financeiras

Por fim, estabeleça metas financeiras. Uma meta financeira pode ser, por exemplo, a quitação das suas dívidas. Para isso, se planeje e veja quanto do seu orçamento pode ser comprometido mensalmente para essa finalidade.

Outro exemplo de metas financeiras é a construção de uma reserva emergencial, que tem a finalidade de cobrir certos imprevistos e impedir que você se endivide. Além desses exemplos, meta financeira é qualquer objetivo no qual você depende de um orçamento para realizar.

Assim, sua meta pode ser poupar para uma viagem, um curso, dar entrada no imóvel próprio, trocar de carro e outras. O importante é se organizar, com foco e disciplina, para que seja possível conquistar suas metas com saúde financeira.

E você, o que costuma fazer para administrar melhor suas finanças? Nos conte nos comentários!

Publicidade

Deixe um comentário

error: