Publicidade

Economizar x gastar com consciência: qual o melhor comportamento financeiro?

Economizar x gastar com consciência: qual o melhor comportamento financeiro?
Publicidade

Usar o dinheiro de maneira responsável é importante para ter tranquilidade financeira e atingir metas diversas. Nesse sentido, dois comportamentos financeiros que podem ajudá-lo são economizar e gastar com consciência.

Porém, é essencial não confundi-los, já que cada uma dessas etapas tem um papel específico na sua vida financeira. Por isso, vale a pena entender como esses comportamentos funcionam e como desenvolver outros hábitos positivos quanto ao seu dinheiro.

Publicidade

A seguir, descubra se é melhor economizar ou gastar com consciência e veja como se planejar corretamente para adotar hábitos financeiros mais saudáveis!

O que significa economizar?

Economizar dinheiro significa deixar de gastar determinado valor, o que faz com que essa economia aconteça em duas situações principais. A primeira é quando você compra um produto com desconto ou por um preço menor que o esperado.

Publicidade

Já a segunda situação é mais ampla e envolve todo o seu controle financeiro. Aqui, economizar significa deixar de gastar uma determinada quantia para que ela esteja disponível no futuro.

É o que ocorre quando você poupa 10% do salário, por exemplo. Isso significa que você economiza uma parte da sua renda, pensando em uma utilização futura.

Publicidade

Qual o significado de gastar com consciência?

Além de economizar, existe outro comportamento financeiro que exige sua atenção: gastar com consciência. Essa ação consiste em utilizar o seu dinheiro de maneira mais estratégica, planejada e com entendimento sobre os pontos positivos e negativos da decisão de compra.

Publicidade

É importante notar que gastar com consciência não significa procurar o menor preço possível, apenas para economizar. Em vez disso, pode fazer mais sentido fazer uma compra mais cara, mas que tenha melhor custo-benefício.

Imagine que você deseja comprar um carro. Para que esse gasto seja feito com consciência, é preciso começar ponderando se é preciso ter um veículo e se faz sentido realizar essa compra.

Publicidade

Também é preciso avaliar se você é capaz de arcar com as despesas extras de um veículo — como combustível, seguro e manutenção. Ainda, analise se as despesas médias mensais relacionadas a ele fazem sentido para o seu orçamento. Assim, é possível evitar o endividamento e o arrependimento.

Ao decidir pela aquisição, o gasto consciente envolve a escolha de um veículo com boa durabilidade, custos menores de manutenção e economia de combustível. Isso pode torná-lo mais caro que outro modelo, mas tende a gerar uma economia maior ao longo do tempo de uso, conforme as suas necessidades.

Esse é apenas um exemplo, já que você pode aplicar o gasto com consciência a diversas despesas do dia a dia — desde os menores custos até as decisões com que envolvem valores maiores.

É melhor economizar ou gastar com consciência?

Como você viu, economizar dinheiro e gastar com consciência são dois comportamentos financeiros importantes e que podem ajudá-lo a cuidar melhor do dinheiro. Então qual deles deve ser adotado? Na verdade, tenha em mente que eles não são antagônicos.

Logo, gastar com consciência não significa deixar de economizar. Também não é preciso suprimir todas as suas despesas não essenciais apenas para conseguir economizar.

Em vez disso, o ideal é que esses comportamentos financeiros andem juntos, de modo que você consiga construir patrimônio e atingir objetivos financeiros.

Desse modo, você pode ter um consumo consciente e que atenda às suas necessidades e, ao mesmo tempo, economizar com foco no médio e longo prazo. Assim, é possível utilizar seu dinheiro de modo mais inteligente em diversas oportunidades.

Como manter bons hábitos financeiros e cuidar melhor do seu dinheiro?

Até aqui, você viu dois comportamentos financeiros importantes para ter a chance de alcançar seus objetivos. Para incorporá-los ao seu dia a dia e potencializar seus impactos no orçamento, convém criar e manter bons hábitos financeiros.

A seguir, veja quais são algumas das práticas mais importantes que você deve considerar em sua rotina financeira!

Transforme sua relação com o dinheiro

O primeiro passo rumo a uma vida financeira mais saudável é fazer uma transformação da sua relação com o dinheiro. É preciso enxergá-lo como um instrumento para realizar seus objetivos e usar essa ferramenta a favor dos seus sonhos e planos.

Para tanto, você deve desenvolver sua educação financeira. Isso permitirá aprender conceitos importantes, como o fluxo de caixa pessoal ou a elaboração de um orçamento, e entender como deve ser a sua relação com as finanças. Desse modo, você poderá tomar decisões estratégicas com mais facilidade.

Faça um bom controle financeiro

Também é necessário manter a disciplina financeira. Para isso, você deve controlar o seu dinheiro, o que permite tomar decisões de modo embasado. Nesse contexto, é essencial montar um orçamento e saber o quanto você consegue economizar, por exemplo.

Ainda, considere o quanto você pode gastar e quais são as prioridades. Ao adotar essas práticas, você evita compras por impulso, foge do endividamento e consegue manter seu padrão de vida com mais tranquilidade.

Monte uma reserva de emergência

Mais que apenas economizar, é fundamental poupar o dinheiro com propósito. A princípio, o ideal é compor uma reserva de emergência. Esse é um dinheiro que deve ser mantido em um investimento de alta segurança e liquidez diária, para ser acessado em caso de imprevistos.

Em regra, a reserva deve ter um montante equivalente a 6 meses da média de despesas — mas você pode economizar mais, caso isso proporcione mais segurança financeira. Além disso, com um propósito claro, é possível ter mais motivação para manter o hábito de poupar e gastar com consciência.

Comece a investir seu dinheiro

Tão relevante quanto economizar e gastar com consciência é fazer o seu dinheiro render. Por isso, vale a pena começar a fazer investimentos para ajudar na construção do seu patrimônio.

Para tanto, identifique seu perfil de investidor, que indica seu nível de tolerância ao risco. Considere também seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Assim, há como traçar uma estratégia condizente com o que você espera alcançar no mercado financeiro.

Neste artigo, você descobriu que economizar e gastar com consciência não são atitudes concorrentes. Na verdade, vale a pena adotar esses hábitos financeiros para favorecer a construção do seu patrimônio e a realização de diferentes objetivos.

Publicidade

Deixe um comentário

error: